Grandes construções começam com pequenos tijolos

No dia da minha formatura, o meu discurso estava todo ele em um papelzinho que arranquei do bloco de anotações da cozinha de casa. Nele estavam três coisas que escrevi dentro do carro indo para o salão: sonhar, construção e gratidão. Lembro que essas “breves” três coisas foram suficientes para atrasar todo o roteiro da festa. Talvez deva ter durado umas três horas (exagero meu, durou duas), mas pra quem já escutou os “sucintos” discursos do reitor da UFSM, ou já rezou a oração do Creio inteira, meu discurso passa de barbada.

Jamais vou compartilhar qualquer tipo de reflexão minha sem utilizar a palavra sonhar. Sonhar é minha incessante busca pelo meu mundo ideal, inclusive foi com ele que me motivei a escrever o primeiro texto aqui.

Falar sobre gratidão rende um novo texto com certeza. Talvez seja uma das características mais escassas nas pessoas hoje em dia e quando se fala em construção, gratidão é fator inerente.

Mas nesse texto quero compartilhar sobre essa terceira coisa, sobre construção. Eu não conheço absolutamente nada grandioso, rico e valioso que tenha sido realizado da noite para o dia. Nada. Pode pensar em qualquer uma: construção das pirâmides do Egito, construção de uma cidade, construção de uma amizade, construção de um casamento, de uma carreira, de um caráter. Deixo para vocês continuarem essa lista com tudo que julgam grandioso, rico e valioso. E divido minha dúvida: quanto tempo demorou até que essas grandes construções tenham sido erguidas? Quanto tempo você demora para construir uma amizade valiosa? Quantos anos você precisa para construir uma grande carreira? E para alcançar seus sonhos? A resposta sempre será a mesma: muitos. Mas o que realmente importa, é que em nenhuma dessas construções você pode pular do primeiro para o último tijolo.

Talvez esse seja um aprendizado difícil para pessoas da minha idade, onde a nossa geração anseia que tudo aconteça da noite para o dia.

Meus pais são relativamente mais velhos que os pais dos meus amigos, isso fez com que a vida toda eu convivesse com pessoas mais velhas, com os amigos e colegas deles. E se tem uma coisa que podemos aprender com os mais velhos é construir, ou que nem diz minha mãe: “a gente só colhe o que plantou.” 

Nós somos uma construção de todo o esforço de nossos pais.

Carecemos de paciência em construir, é meia dúzia de tijolos, jogamos o telhado por cima e deu. Nossas fundações ficam fragilizadas, nossas amizades não perduram, nossas famílias se desmancham. Construções fracas não resistem a intempéries.

Ou o que é pior, desistimos da construção no sétimo tijolo. Desistimos da amizade na segunda briga, desistimos do parceiro na primeira discussão, desistimos da carreira no primeiro emprego.

Todo novo desafio que encaramos é o primeiro degrau de uma escada, quanto mais grandioso é o desafio, mais alto são os degraus, mais escorregadios, mais numerosos. Mas indiferentemente das características da escada, a estratégia de subida é única: um degrau depois do outro.

Há pouco tempo li a autobiografia de Ivo Pitanguy intitulada Viver Vale a Pena, ele foi considerado nada mais nada menos do que o maior cirurgião plástico do mundo. Não sou o mais devoto de biografias, mas essa é excelente. O livro mostra sua construção, de sua carreira, de sua simplicidade. E com certeza a construção do maior cirurgião plástico do mundo não aconteceu no sétimo tijolo.

Mas o que mais me chama a atenção na história, é que ele não aponta os nomes só das grandes unanimidades que conviviam com ele, como presidentes, atores famosos, pintores. Ele aponta o nome de seus motoristas, jardineiros, funcionários, faxineiros. Lembram que eu disse que gratidão é inerente a construção de coisas valiosas?

Gratidão nada mais é do que ser grato com quem lhe ajudou a subir mais um degrau. Acho meio batido essas análises da palavra em latim, mas vou fazer só dessa vez. A origem da palavra construção, do latim, é “o ato de construir juntos”. Ninguém ergue nada grandioso, rico e valioso sozinho. Você não construiu seu casamento sozinho, sua carreira, tampouco sua personalidade.

Você não constrói uma amizade sem gratidão. Quantas vezes, antes de dormir, você agradeceu seu amigo pelas horas que passaram juntos durante o dia? Quantas vezes você mandou uma mensagem agradecendo uma carona? Uma ajuda? Sem gratidão nossas construções podem ser ricas financeiramente, mas não ricas de propósito. Podem ser grandes, mas não grandiosas. Podem ser caras, mas não valiosas.

O que notamos das outras pessoas é a coisa toda pronta. O amigo com um bom carro, o colega de faculdade com um emprego legal, o vizinho com uma família sorridente. O problema é que a gente observa onde as pessoas estão, mas esquecemos de observar como elas chegaram.

Hoje posso dizer que já vivo mais perto do meu sonho do que há um ano. Tenho uma rotina de trabalho carregada, mas flexível. Trabalho em mais de uma empresa, conheço todo dia novas pessoas, aprendo novas culturas. Talvez eu não achasse que fosse possível estar onde estou há algum tempo atrás na faculdade, mas isso não me fez esquecer de subir o próximo degrau.

Falei no texto sobre decisões difíceis sobre a angústia de estarmos longe do que gostaríamos. Isso acontece porque mesmo que saibamos onde queremos chegar, mesmo que saibamos o que gostaríamos de construir, esquecemos de colocar o próximo tijolo.

A lógica é simples, gratidão e aprendizado pelos degraus que já subimos, foco e disciplina para subir o próximo e sonhar para não perder de vista o último!

Encerro parafraseando Ronie Gabbi, um grande amigo meu e parceiro de inúmeros projetos, “pense alto, mas faça o básico!

Obviamente não falei tudo isso aqui no discurso da formatura né..

(mentira, aqui não tem nem metade)

Luiz Felipe

7 comentários em “Grandes construções começam com pequenos tijolos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s